Propósito

Um blog sobre autoconhecimento e espiritualidade que visa passar a informação de maneira clara e compreensível à todo tipo de público.
Alaluchi é a luz que vem da alma que se tornou consciente de si mesma e busca aprimorar-se por si e pelo universo.
Sempre em serviço do bem maior.

Sabedoria de Bruxa Morgana sobre uso de Magia

Eu fui membro integrante do "zhaul" de bruxas Morganas.

 Uma espécie de seita de bruxaria movida por princípios de ótica particular diante dos valores primordiais da sociedade daquela época.



  Era como se fôssemos uma contra cultura, que trazia consigo o estigma da manipulação de matérias da natureza e sua consagração perante rituais diários de gratidão, percussão e busca por sabedoria divina.

  Um longo caminho era percorrido com várias provas para podermos ganhar o título de Morgana. Era importante manter a mente firme mas sem esquecer de sermos flexíveis diante das lições que as provas buscavam nos trazer.

  Não posso falar detalhes mais sórdidos para não quebrar os sigilos e nem oferecer informações à bruxos perdidos que anseiam por usar a sabedoria do passado para inflarem seus egos colossais e criarem suas próprias seitas movidas à aparências.

  E é sobre eles que venho falar hoje.

  Ninguém é detentor da sabedoria, ninguém é passagem obrigatória ou o mestre obrigatório para que os outros possam evoluir. Ninguém é o único sabedor da palavra divina.

  Só a Terra é - dona da sabedoria de si mesma. Só a Deusa é - dona da sabedoria de si mesma.

  Só é abençoado com os saberes da Terra quem a ela se render. Quem à ela se ajoelhar. Quem à ela declarar seu pleno amor e pedir licença para atuar alquimicamente para seus próprios fins pessoais ou coletivos desde que esses tragam os princípios de sobrevivência, caridade, autodomínio, cura ou percussão.

  Pobre de quem usa as artes da Terra por vaidade, ganância ou desonestidade. Pois a Terra gira, do que dela for usado por fins malévolos, no fim da rotação, na lua oposta à lua em que tais atos foram predicados, a energia retornará.

  A sabedoria é digna de todos, mas ela não começa na mente. Começa nos pés em conexão com a Terra, começa nos joelhos repousados em entrega no chão. Se desenvolve na alquimia interna de todos os sentimentos e pensamentos que permearão o bruxo no processo de decisão e se manifesta na magia com os elementos, velas ou o que for pelas mãos.

  A magia é toda dentro. Só se vem pra fora como um sorriso, quando você contempla a obra da qual fez si mesmo e deseja passar para fora. Então a Terra lhe abraça para que você possa repintar a mesma obra de arte sob o seu solo, sob sua pele verde ou terrosa ou sob qualquer superfície que ela se permitir tatuar com tal manifestação.

  Um bruxo nunca é o mesmo após um ritual. Um bruxo nunca é o mesmo após contemplar a irmandade que existe entre os elementos internos de seu corpo com os elementos externos da natureza ao seu redor.

  O bruxo comum manipula toscamente o meio externo para conseguir o que quer. O bruxo mestre manipula sabiamente seu meio interno para ser alguém melhor e então descobrir o que ele quer.

  Para os bruxos conselheiros - jamais repassem magias sem saber os primórdios dela. Jamais chamem de "simpatia" o que tira livre arbítrio, pois o nome verdadeiro disso é "amarração". E os bruxos que fazem amarração tem vidas sortidas de pessoas possessivas e apegadas para lhes amarrar até aprenderem que as pessoas são livres para não fazer só o que queremos.

  Bruxaria é equilíbrio entre as partes do seu eu, para a alquimia fluir e se sustentar desde dentro para corresponder ao mundo lá fora.
  Não é obrigar o mundo à corresponder aos propósitos excusos de uma alma deturpada.

  No universo, retorno é Lei. Compaixão é opcional. Prestem atenção sobre como cultivam seus quereres, para não reclamarem mais tarde de que ninguém lhe estende a mão.

  E para os não bruxos, lembrem-se também. A magia começa na mente, é a própria alma em ação sobre a matéria: não é diferente quem vive em ódio desejando o mal, não é diferente quem solta o sorrisinho entre os lábios quando o outro fez a maldade no seu lugar sem que você precisasse sujar as mãos.

  É particularmente revoltante o quanto a vaidade impera em tantos centros e seitas espirituais/religiosas/magísticas hoje em dia. A corrupção destes meios sempre existiu, mas nunca se fingiu tanto de bem o que é mal.

  Espero não deixar uma má impressão em vocês, existem ainda muitos sábios que podem educá-los e, alguns que ainda agem com ignorância porém estão à caminho de despertar.

  Para ver o bruxo mestre basta perceber o que ele lhe diz primeiro: se lhe oferece a magia primeiro ou se lhe faz pensar porquê você a quer.

  Não seja um consumista na comercialização da magia ou da fé.

  Seja um consumista das virtudes da alma, pois quem enxerga, transmuta e amadurece a si mesmo - um bruxo em alma já é.

  Agrsadeço pela oportunidade, espero que lhes sirva de lição.

- psicografia de Morgana Alexia

Pela médium Maria Fernanda Balazs

21h25 30/11/2017

Michiko é anjo agora.

A minha mãe costumava me dizer que deveríamos ser bons uns com os outros. Ela costumava dizer que sempre é um bom momento para cuidar dos entes queridos.

Minha mãe não desencarnou comigo. Ela não pode me ver agora. Mas todo dia eu estou com ela, cuidando dela, sabendo dela, sentindo o cheiro dela.



Sempre evito que ela corte os dedos quando usa a faca. Quando ela bate o dedo pequeno do pé, eu sopro pra sarar. No coração dela, eu ainda sou filha, aquela com um olhar desconfortável na fotografia da estante da sala - eu era pequena e não gostava de que tirassem fotos de mim.

 Ela me olha quando os meus irmãos vão pra escola. Ela não sabe que sou um anjo hoje em dia, um anjo só dela. Eu amo tanto minha mãe que quis voltar pra cuidar dela e dos meus irmãos também.
  Mas eu cuido mais dela porque ela é quem se sente mais sozinha depois de eu ter partido.

 Gostaria que ela não se culpasse tanto pelo que aconteceu comigo. Que ela abrisse o coração e parasse de ter medo da própria mediunidade. Aí, ela saberia, o quão feliz estou aqui. E que o calor que ela sente nos ombros sempre que recosta a cabeça no travesseiro pra dormir sou eu.


Eu a abraço pra que não se deite pensando nas coisas tristes sobre mim ou da vida. Pois eu voltei pra fazer ela feliz.

Michiko Matsumoto ( Sora ga ya chi mi desu)

Psicografado por Maria Fernanda

19/11/17 11:42

A noite em que o luar tocou meus olhos

fonte aqui


         Era triste, oh, saudosa memória de minha infância sadia, 
em quantas crenças eu cri
não se sabe até onde pude saber
não sei mais ver até onde via

Eu sei, oh, verdade, que é difícil saber
toda a luz que habita na carne
a mesma que padece e se põe à apodrecer

Sei, hoje, pois, que a verdade habita em partícula
de luz naquilo que não parece brilhar
pois reluz para os olhos do espírito
com os quais a maioria não pode enxergar

Sei, triste encanto, que padeci como carne
e vi, assisti, remoí meu próprio ser junto aos vermes da terra
Senti todo o peso de tudo o que cri
Sofri a descarga dos raios de amargor
vi o silêncio cobrir toda a esfera

Mas, pensai-vos, que desisti de amar
o que chamais de viver?
Digo que amo mais a vida após morrer
pois descobri que morrer é nascer
e toda a dor da vida
era só um decadente sonhar

Ah, quão triste vi meus tecidos de putrefazerem
senti a dor, não do corpo, mas da misericórdia
que, divina, quando arrebata o ego frio
faz até os mais agressivos se deterem.

Pequena grande redenção
na noite em que desisti de mim
foi quando lembrei do céu, enfim,
e por detrás do véu de nuvens
a lua tocou meus olhos, ou melhor, minh'alma
a qual em sua ilusão ocular de corpo
ainda por globos faciais cria ver.

Sagrada unção, cerração da noite infinita
que saudade eu sentia do que não podia ver
foi quando vi meu último veio se romper
o fio de crença, de que corpo era meu eu todo.

Deixei-o sumir no lodo,
para poder me embeber da lua
E foi na noite em que ela tocou minh'alma
mansa, imensa, calma
que desaferroei do epaço
do túmulo como um laço
da terra como leito

E o luar pungiu em meu peito
senti, ah, senti,
que mais poderei dizer
de que sorri em todo
era ela, lua bela, quem vinha
áspera, severina,
mulher de minha vida
descer do céu, para, finalmente, tocar-me.

Ora, então, não me lembro,
quando teu vulto entre astro e gente se dissipou
mas quando senti teu calor latente
no mais doce e ínfimo abraço
pela leveza a qual eu desconhecia
em um sopro noturno me levou.

Só vi, só lembro que vi,
o céu estrelado romper como um reflexo de lago
ritmamente desfigurado
no doce instante em que partí.


poesia por
Augusto dos Anjos

recebido por
Maria Fernanda Balazs

00:25 12/11/2017

Um olhar divino sobre a escuridão - por Hermesto Nathanael


     Existe vida além do bosque da escuridão? Oh, existe sim, disse Jonathan à sua companheira, Jaspire. Existem sonhos que são a concretização do poder pessoal de cada um.

     Como assim? Ela perguntou. Além da escuridão existe a manifestação da realização pessoal de cada pessoa, a luz de cada um - por ser a própria antítese de toda a dor e todas as lutas que essa pessoa superou.

      É incrível como a luz é maravilhosa, pois ela não se engrandece só das vitórias contadas, mas de todo momento, todo instante que a sua alma se debateu contra a escuridão.
                                     
             
fonte aqui

      Eu divido aqui, com uma memória antiga minha para com vocês, me aproveitando do sentido de escuridão como sendo todo o sofrimento e todos os momentos que a alma não sabia como respirar diante de alguma situação. No entanto, a escuridão verdadeira, nada mais é do que uma luz minimizada. A lua, rainha da noite, tem luz refletida do Sol, rei do dia. Da mesma maneira, escuridão é a mesma potência da luz, porém, em menor quantidade.


      A escuridão é parte da criação como primórdio, pois tão antiga é quanto a memória da divisão da fonte divina em mais do que apenas um. Ou seja, a escuridão nasce logo que o Criador se divide na Criação. Tão antiga quanto todos nós. 
      Você pode se perguntar por quê, pois talvez ainda entenda escuridão como uma maldição - mas ela nada mais é do que a deturpação da luz diante de qualquer forma que esteja diante dela. Sobre qualquer forma, qualquer coisa, qualquer algo que se estenda diante da luz, haverá sombra. A escuridão nasce da divisão, pois a união verdadeira é apenas e toda luz envolta em si mesma, completa em si mesma.

       E então vocês questionam porque a fonte primordial se dividiu em seu primeiro ato. Eu lhes pergunto se vocês prefeririam a solidão completa ou a companhia em troca de alguma alteração, alguma descoberta. A sombra é aonde há o aprimoramento, pois a sombra é descoberta.

       Vendo as possibilidades de sombra que cada criatura tem que a Fonte divina é capaz de enxergar as possibilidades diversas de si mesma e se torna capaz de auto aprimorar. É vendo cada criatura em sua manifestação e amadurecimento que a Fonte divina é capaz de enxergar as possibilidades diversas de manifestar o seu tremendo amor.


                             
                       
                           
       Pois Deus/Deusa, eu vos digo hoje, é aquele que quer aprender a amar cada dia mais, mais do que o supremo amor que já possui. Por isso, ele criou e animou à todos nós e fabricou de si mesmo um lugar para habitarmos e de si mesmo nos preencheu. Ele é quem nos deu tudo e de tudo nos firmou.

        Deus/Deusa é quem se entrega inteiro, para que nós sejamos felizes e, assim, ensinemo-lo a aprender a ser feliz de outras formas. É ele quem traçou a si mesmo como matemática suprema para garantir a Lei em forma de algoritmos que todos nós fôssemos passíveis de evolução e felicidade e de que atraíssemos a nós irmãos similares, para nos dar acalento ou lição. 

         Não é feliz quem permanece estagnado - por isso, não importa o quão parada esteja a sua vida, mesmo que a rotina seja a mesma, você calça seus sapatos de maneira um pouco diferente todo dia, você penteia alguns fios de cabelo de maneira diferente todo dia, você permeia os espaços com seus olhos de maneira diversa todo dia... não importa o quão pareça igual, à todos os segundos você está absorvendo informação nova, interpretando mais coisas de maneira inconsciente e trazendo mais informação e conhecimento para si e para o cosmos.


fonte aqui


        Você só pode crescer. É seu único caminho ser alguém mais aprimorado e feliz, mas dependerá de você, sofrer mais ou menos, se iludir e encher de crenças pesarosas ou aceitar a realidade como ela é. Mas, em verdade vos digo, que a realidade é boa e é bela e nada além disso, ou que não condiga com isso, possa ser chamado de real.
 
         Pois Deus/Deusa é a nossa realidade e tenha como firmeza que ele/ela é Bom e Belo, cada dia mais. E justo, pois dispõe dessa possbilidade de compreensão o tempo todo dentro de você. No âmago mais silencioso do seu ser. 
         Não tema pelo medo e pavor de tantas encarnações com crenças limitantes e tristonhas, ou de falsas fontes de felicidade - compreenda que podem ter muitos véus sobre a realidade em sua mente, porém, a potência de luz está sempre aí, a consciência sagrada jamais saiu de dentro de você, ou do seu contorno. Compreenda também que, quanto mais véus tenham escurecendo a sua visão, mais caminhos para a luz você descobrirá quando superá-los e mais conhecimento você terá para contribuir com o amado universo.

          Quanto mais você sofre hoje, mais potência de crescimento e maestria você terá amanhã. Quanto mais experiência, mais passível de ajudar aos outros, às outras chamas vivas da Criação para que todos possamos nos aprimorar e ser mais felizes e belos.

          Quanto mais você compreender a sombra como potência de luz, mais você perdoará, mais você amará, mais você compreenderá, mais chaves você terá em suas mãos para ser pleno.

          São 72 nomes de Deus, 72 daemons primordiais e 72 anjos primordiais.

          Seriam essas 216 coisas distintas? Ou seriam 3 faces diferentes de 72 coisas iguais?

          Nome de Deus - o inteiro
          Daemon - o desafio
          Anjo  - a virtude

          Pensem bem, é tudo muito simples, tão simples que uma criança é capaz de entender. Tão simples de entender se você vir o universo como infinitas máscaras e caminhos para aquilo que é uma coisa só.

 
     
          Compreender a Unidade é importante, mas se a própria Unidade achou importante se dividir em vários, não vá você se esquecer da profundidade também da pessoalidade de cada um. Tudo é como deve ser e assim é importante. Tudo é como deve ser e, mesmo que possua algum ideal maior, já é belo em si mesmo e belo em sua idealização também será.

           Tudo é belo, basta saber enxergar. Olhar do alto. Olhar divino.


pelo mentor Hermesto Nathanael




A Festa de Viver - por Dharma Miguel


    Se você olhar bem para o universo perceberá que ele é, sempre foi e sempre será rico. Ele é próspero em si mesmo - pois quem o criou, criou partindo de si mesmo com o propósito de ser feliz.


fonte: Site do Radio Viva Zen


    Tudo o que nasceu da consciência primordial que vocês chamam de Deus/Deusa, nasceu com o propósito de se auto descobrir para trazer mais visões e formas de existir para si mesmo.

    A intenção da qual todos nós, chamas vivas encarnadas ou não, nascemos foi felicidade. A felicidade é o propósito primordial e o único caminho para qual todos caminhamos.

    Não importa se você dá mais curvas ou menos curvas em seu caminho, só a felicidade lhe é o destino.

    E felicidade, eu digo, não no apego egoico à zona de conforto que tantos possuem, mas a felicidade verdadeira da alma por saber que ela pertence à um universo como ferramenta de harmonia e amor, para servir dentro de suas funções e através de seus dons.

    A felicidade de saber que é suprida pela essência do BEM e o BEM lhe preencherá e alimentará em cada passo de sua evolução.

    A felicidade que é a consciência de que o BEM compartilhado com todos é o BEM expandido para si mesmo e mais portas abertas para que a luz toque as consciências que ainda estão dormentes crendo que nasceram sozinhas ou que estão desconectadas de tudo.

    Quanto mais descobrir a si mesmo, mais compreenderá o que lhe cerca e a pequenez e grandiosidade de ser mais uma centelha viva filha do verbo de Deus/Deusa e tão importante para este quanto um órgão vital de si mesmo.

    A essência do universo é a comunhão, o amor por si mesmo em unidade e coletivo e, se isso ainda não lhe faz sentido, lhe fará um dia, quando perceber que essa longa estrada de dor era uma ilusão de caminho na qual você havia se limitado achando que ela não tinha nada a lhe ensinar.

    Percebe a força que uma flor faz para que suas pétalas todas enroladas em botão consigam se abrir? No entanto, ela entende tão bem que isso é parte de seu processo, que, sempre que vemos uma flor abrir, não sentimos sua dor, captamos apenas sua beleza, delicadeza, sua geometria divina manifesta em cor, forma e aroma.

    Quando algo lhe gerar sofrimento, busque olhar com amplitude, até onde você se obrigou a crer que merece a miséria espiritual em um universo tão rico e o esforço tremendo que andou fazendo para ir contra corrente.

    É verdade que exige força para que floresçamos, mas exige-se muito mais para que se alimente o negativo em um cosmos criado para a harmonia em si mesmo.

    A festa de viver é fluir com todos, sabendo que somos parte um do outro, um com o Todo e o Todo com um. Fluir, com a pureza de usar sua força para aquilo que lhe trará felicidade, aquilo que trará beleza ao divino.

    Por isso, respire fundo, pense em todo o esforço que você tem feito e que não vê frutos bons... reflita se as crenças que alimentam todo esse esforço realmente seguem os propósitos que citei anteriormente aqui.

    A força sobre o BEM floresce e frutifica. Invista-se nela.

pelo mentor Dharma Miguel

Mais Acessadas